Veja 5 dicas jurídicas para proteger sua empresa.

Essa matéria é primordial para quem já possui ou pensa em abrir um negócio. São dicas básicas, porém valiosas para quem quer empreender. Aconselho também a leitura do post 7 dicas para reduzir a inadimplência, são orientações importantes para quem quer acabar de vez com o fantasma da inadimplência.

1. Cuidado com os contratos

O empresário precisa ter uma atenção muito grande com contratos assinados com os fornecedores. Jamais assine um contrato sem ter a certeza de que entendeu todos os detalhes e de que não haverá prejuízos em caso de desistência ou encerramento imprevisíveis.

“Os contratos devem ser observados em todos os seus detalhes, de preferência, ainda, com auxílio de um profissional jurídico que especificará quais serão as obrigações assumidas e deveres que deverão ser exercidos por ambos os contratantes”, afirma.

2. Acordos de trabalho

Um contrato de trabalho bem formulado, visando a especialidade da atividade empreendida, bem como detalhes da região, modo de trabalho e quaisquer outras especificidade que a atividade exija, com certeza, evitará processos trabalhistas e, assim, evitará condenações absurdas que desestruturam a saúde financeira da sua empresa.

Recentemente escrevemos uma matéria muito interessante sobre como reduzir os riscos para evitar ações trabalhistas. As ações trabalhistas ainda tem sido um verdadeiro calo no sapato dos empresários. Diante de uma justiça altamente tendenciosa e de um lei desatualizada é importante estar atento aos mínimos detalhes do contrato.

Leia a matéria:Reduzir riscos para evitar ações trabalhistas.

3. Clientes insatisfeitos

Erros no atendimento ou no produto entregue podem causar processos de reparação de danos. Para o empresário evitar isso e até planejar melhor sua rotina de trabalho é aconselhado que redija contratos com o cliente que vislumbrem todas as especialidades de seu produto, sem deixar de abordar as cláusulas penais para descumprimento e situações em que seu cliente não honrará o pactuado.

Se você lida com o consumidor final, a atenção deve ser redobrada. Já tivemos empresas que simplesmente decidiram encerrar as atividades pelo grande número de ações judiciais. Assim, o Código de Defesa do Consumidor é outro ponto a ser observado com muita cautela pelo Empresário.

4. Antecipe os problemas

Sempre anteveja as situações de risco e os problemas que poderão acontecer durante a negociação, ou durante a venda/execução do serviço e, não se esqueça dos problemas que podem acontecer durante o pós venda. Um problema antevisto será uma situação já prevista em contrato.

Como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar. Cada vez mais Empresas tem contratado serviços de assessoria jurídica mensal, justamente para reduzir os riscos de problemas antes não percebidos.

Leia nossa postagem sobre Advocacia Preventiva e saiba as vantagens que esse serviço proporciona ao seu negócio.

5. Consulte uma assessoria jurídica

Contratar uma assessoria jurídica se torna um investimento imprescindível se o empresário pretende evitar erros que podem levar à falência de sua empresa. Procure e consulte uma assessoria que esteja dentro do orçamento de sua empresa.

Fonte: Folhas de SP – Online

Gostou da matéria? Compartilha com seus amigos.

Ainda tem dúvidas? Fale conosco, clique aqui.

*Marcello Benevides, é Especialista em Direito do Consumidor, possui Pós-Graduação em Direito Empresarial pela AVM — Universidade Cândido Mendes, além de atualização em Direito do Consumidor pela Fundação Getúlio Vargas — FGV — RJ.

Marcello Benevides

Marcello Benevides

É fundador e CEO do escritório que leva seu nome, está formado desde 2005. Tornou-se especialista na recuperação de créditos de alta monta, diante da vasta experiência adquirida na realização de Cobrança Extrajudicial e Judicial para Empresas e Instituições Financeiras. Possui Pós-Graduação em Direito Empresarial pela AVM — Universidade Cândido Mendes, além de curso de atualização em Direito do Consumidor pela Fundação Getúlio Vargas — FGV — RJ.