Quanto tempo dura um processo trabalhista? Saiba mais.

Para responder essa pergunta seria necessária uma análise caso a caso, para chegarmos a uma média, baseada em experiências anteriores de casos similares. Existem várias situações que podem fazer com que um processo trabalhista dure mais ou menos tempo.

QUANTO TEMPO DURA UM PROCESSO TRABALHISTA?

A Constituição Federal de 1988 prevê, dentre os direitos fundamentais individuais, a “duração razoável” do processo (art. 5º, LXXVIII). Contudo, o que vemos hoje, quando não há acordo entre as partes, são processos com durabilidade, em média de 3 anos.

Porém, existem processos trabalhistas que podem tramitar por 10, 15, 20 anos, isso vai depender de uma série de fatores. O tipo de rito, o cartório que vai tramitar, (alguns cartórios são bem mais rápidos), o Juiz que irá julgar, se a Empresa pediu falência, enfim uma série de fatores interferem nessa questão.

Hoje com o processo eletrônico, e a vedação da distribuição de novos processos trabalhista em papel, a tramitação ficou mais célere, pois tudo é feito através do computador.

O ideal é atuar sempre de forma preventiva, estando atento a situações que podem gerar essas ações que na maior parte dos casos traz grande prejuízo ao Empresário. Nós falamos um pouco sobre como reduzir as ações trabalhistas em outro post, aconselho fortemente a leitura, é só clicar no link abaixo:

Reduzir riscos para evitar ações trabalhistas.

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho, por meio da “Semana Nacional da Conciliação Trabalhista”, incentiva a prática de acordos entre as vontades das partes. A intenção é fazer com que a Justiça Trabalhista seja mais célere. No mais, orientamos sempre pelo acordo que é uma forma de reduzir despesas para Empresa e para um rápido recebimento das verbas atrasadas pelo Empregado.

Já tivemos processos em que o acordo poderia ter sido feito em audiência de conciliação e por desentendimentos os litigantes não fecharam o acordo, hoje esse mesmo processo dura mais de 10 anos, o débito cresceu consideravelmente e a Empresa está em vias de fechar as portas.

Ainda tem dúvida? Fale conosco, clique aqui.

Marcello Benevides

Marcello Benevides

É fundador e CEO do escritório que leva seu nome, está formado desde 2005. Tornou-se especialista na recuperação de créditos de alta monta, diante da vasta experiência adquirida na realização de Cobrança Extrajudicial e Judicial para Empresas e Instituições Financeiras. Possui Pós-Graduação em Direito Empresarial pela AVM — Universidade Cândido Mendes, além de curso de atualização em Direito do Consumidor pela Fundação Getúlio Vargas — FGV — RJ.